Inteligência coletiva e o ebook #MídiasSociais

 

Com o intuito de abrir espaço para discussão e ampliar nossa inteligência coletiva, nós da PaperCliQ estamos organizando alguns encontros online sobre o Ebook #MídiasSociais: Perspectivas, tendências e reflexões. Esse espaço está sendo viabilizado graças ao apoio da nossa amiga Marcia Ceschini, idealizadora e organizadora do #paposnarede.

Vale lembrar que os encontros ocorrerão todas as terças de novembro e da primeira quinzena de dezembro, sempre às 21h. O link de acesso é www.tinychat.com/midiassociais.

Deixo aqui o cronograma para que vocês possam acompanhar. O calendário poderá sofrer alterações devido aos imprevistos do cotidiano.

 

CRONOGRAMA #PAPOSNAREDE EBOOK #MÍDIASSOCIAIS

Redes sociais verticais + Monitoramento Político >>  Terça 09/11/2010

Construindo uma rede social especializada.
Antonio Novaes

Criação e manutenção de perfis políticos online: uma experiência prática.
Nina Santos

 

 

Inteligência Coletiva > Terça – 21/12

Coolhunting: utilizando as mídias sociais para identificar tendências.
Renata Cerqueira

Monitoramento de Marcas e Conversações: alguns pontos para discussão.
Tarcízio Silva

Redes sociais e inteligência de mercado.
Henrique Puccini

 

 

Educação e mídias sociais > Terça 23/11/2010

Mídias sociais e educação: foco na informação e na interação.
Mirna Tonus e Marlon Costa

Redes Sociais e Aprendizagem Informal: empregando as perspectivas dos sites de redes sociais para compreender a aprendizagem informal.
Ana Terse Soares

 

 

Novas Midias > Terça 30/11/2010

Sociogeolocalização no Marketing Digital: o caso Foursquare.
Marcel Ayres

Branding Transmídia.
Marcela Costa

 

 

Economia > Terça 09/12/2010

Modelos de negócio nas mídias sociais: Todos os holofotes são para os usuários.
Danila Dourado

Coletivos Criativos e Voluntariado: novas abordagens de mídia e inovação na era dos Prosumers.
Gilber Machado

 

 

Ambiente Corporativo > Terça 14/12/2010

Comunicação organizacional em tempos de mídias sociais.
Carol Terra

Redes sociais corporativas: as possibilidades de relacionamento e gestão de conhecimento na web.
Mariana Oliveira

 

Anúncios

Modelos de negócio nas mídias sociais: Todos os holofotes são para os usuários.

Esse é o título do meu artigo no ebook colaborativo #MídiasSociais: Perspectivas, Tendência e Reflexões, que co-organizei com a PaperCliQ.

 

Na continuação do texto, abordo o valor da participação dos usuários, o destaque da minoria na nova economia digital e os novos modelos de negócio das mídias sociais. Finalizo com uma reflexão que oferece algumas diretrizes gerais de atuação para as empresas que pretendem gerar ingressos através dessas novas mídias.

 

Se deseja realizar o download do artigo Modelos de negócio nas mídias sociais.

 

Abaixo cito parte da introdução na íntegra:

 

As mídias sociais representam uma transformação na mediação da informação. Até pouco tempo, se uma empresa queria divulgar seus produtos e serviços, recorria aos meios de comunicação massivos para que sua mensagem pudesse alcançar um maior público. No processo comunicativo atual, o cenário é diferente. A figura do intermediário, como conceituada até então, já não é de suma importância, o que viabiliza a comunicação direta das marcas com seus consumidores. Com essa quebra hierárquica entre meio e mensagem, indubitavelmente, a Internet tem reduzido “a importância dos intermediários, já que a rede permite aos usuários acessar uma vasta gama de produtos e serviços, ignorando assim os intermediários locais” (Quelch & Klein, 1997 in Quintero, Obra & Meléndez, 2000:68).

 

Através desse contato direto com os consumidores, as marcas podem obter informações relevantes sobre o perfil do seu público, pois passa a conhecer seus gostos e hábitos pessoais, sabem quais são seus interesses, tem acesso às opiniões dos usuários e, assim, podem “analisar estes dados juntamente com as tendências do mercado, para oferecer produtos e serviços que eles demandam” (Fernandez, Pablo & Egea, 2010:58). Essa transformação no processo comunicativo reverbera na percepção das empresas sobre seus consumidores, ou seja, afeta diretamente a comunicação e os modelos de negócio B2C (Business to Consumer).

 

A forma de perceber a audiência deve estar em consonância com o modelo colaborativo baseado na comunicação participativa inerente às mídias sociais. Nesse novo panorama, a organização já não possui o controle absoluto sobre a mensagem midiática, o que provoca receio por parte de alguns executivos ao decidir por aplicá-los ou não à sua estratégia de marketing e comunicação.

 

No entanto, é fundamental que as empresas valorizem as vantagens competitivas que estas novas mídias oferecem, já que, segundo Flores Vivar (2009:79), as redes de conexões sociais, como um todo, incitam “o surgimento de possibilidades de colaboração e novos modelos de negócios que potencializarão àquelas empresas que estão preparadas e levará ao fracasso as que não conseguirem se adaptar”.

#Paposemrede sobre Ebook

Amanhã 21/09 às 21h tem #paposemrede (http://tinychat.com/midiassociais), organizado pela Marcia Ceschini sobre o Ebook #MídiasSociais: Perspectivas, Tendências e Reflexões. Esta edição especial, que participarei como mediadora, contará com a presença de alguns autores do ebook:

Patrícia Moura >>

Ações de Marketing com grupos de referência e influenciadores no contexto das mídias sociais.

Henrique Puccini >>

Redes Sociais e inteligência de mercado

Mirna Tonus >>

Mídias sociais e educação: foco na informação e na interação.

Nina Santos >>

Criação e manutenção de perfis políticos online: uma experiência prática

…………………………………………………………………………………………………………………………

Sintam-se à vontade para participar.

Ps.: Aos indisponíveis: quem quiser pode enviar perguntas que eu lanço na discussão por vocês.